Archive for the ‘Versos’ Category

Mariposa

Como a liberdade,

independente da idade,

lhe era enfadonha,

buscou uma cela tamanha

invadiu o ambiente

riu insistente

dos erros que era alvo

do desejo do Aldo.

Pouco tempo depois

Aldo se recompôs

como atirador de elite

e deu àquela vida seu limite.

 

Certo dia fui almoçar a convite do amigo Aldo Gomes em sua residência na L2 Sul, no Distrito Federal. Ele fez grande propaganda de sua varanda e de como era gostoso curtir as correntes de ar que vinham do Lago Paranoá. Num átimo, uma jovem mariposa entrou em sua sala através das grades de proteção e o incomodou bastante ao ponto dele se armar com um chinelo e persegui-la pela casa inteira. Ela parecia divertir-se de cada erro de seus ataques. Meu amigo estava “louco” para matar o pequeno lepidóptero. Eu disse a ele para relaxar e esquecer aquela mariposa tão pequenina. Ele se ajeitou em uma cadeira de balanço à minha frente, mas manteve a atenção no heterócero. Numa fração de segundos, Aldo, percebendo que a mariposa havia feito uma parada para descansar sobre a belíssima cortina de seda carmim, atirou seu chinelo de forma certeira. Não satisfeito foi até o alvo, após uma gargalhada conferiu sua pontaria com o comentário: “… essa nunca mais vai me humilhar. O senhor das armas cumpriu sua missão”. (sab/25/set/1977)

Anúncios