Vida finda

A todos tornou-se público

que ele não era único.

Para afogar a dor,

nada por favor,

decidiu de si vingar-se ainda

pois sem ela a vida era finda.

 

Escrevi estes versinhos em um guardanapo de papel em uma mesa de bar após ouvir a história de um garçom. Seu amigo cometera suicídio na semana anterior após sua namorada ter dito, na presença de todos os demais garçons, que ela o traia com o dono do restaurante onde ele trabalhava nos fins de semana. (seg/22/julho/2002)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: